segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Espionagens feitas pelos Estados Unidos dominam as notícias da grande mídia nacional.Eles nem se importam com isso.

A espionage ,praxe que vem antes dos  tempos  da Guerra Fria, hoje, é o tema maior das reportagens da grande midia nacional.Tais denúncias deverão reformular todos os serviços dessa natureza que usam a eletronica e vias seguras para a invasão de dados de companhias, instituições financeiras, e supostos suspeitos de ações de terror no mundo todo.A grande midia parece julgar  como se observar o que outras nações fazem fossem algo exclusivo dos Estados Unidos da América e seus aliados.O Brasil,através, da ABIN,  Agencia Brasileira de Informações,que substituiu o famoso" monstro SNI" , da época da ditadura militar,também relaiza os mesmo tipo de operação,apenas em escalas menores e com muita precaridade por não ter oficiais  de informações do gabarito que têm os Estados Unidos, a França ou a Grã Bretanha,aliados incondicionais dos Estados Unidos no Mundo Ocidental.Novas formas de energia e de tecnologias são também feitas de forma reservada por orgãos,que nem aparecem nas notícias, em menor escala no mundo do capitalismo e da livre concorrência.Por que os jornalistas e os analistas não leem o livro de Jonh Le Carré, um ex-espião que trocou a vida de analista de informações pela de escritor,O ESPIÃO QUE SABIA DEMAIS. Os métodos de espionar ganharam apenas mais tecnologia e com o fim da geurra fria, os alvos são (in)definidos e sem organização,segundo fonte que não podemos revelar.Não podem crucificar os Estados Unidos desviando o foco de fatos como mensalão, e a execução dos réus que procuram todos recursos para não vestir uniformes de presos,não mais políticos......
Postar um comentário