sábado, 28 de janeiro de 2012

Jornalista e professor Armildo Amado Oliveira, um grande escritor....

Hoje, acordei pensando nas pessoas que no inicio da minha formação intelectual contribuiram e influiram para que eu trilhasse o caminho das letras e da comunicação e o nome que me veio à memória foi do meu saudoso amigo e professor de ensino das primeiras letras, o jornalista colaborador  Armildo Amado de Oliveira, que há alguns anos nos deixou e foi para outra dimensão sem nunca ter tido tempo de reunir seus escritos,geralmente no gênero prosa publicados nos mais diversos jornais do Ceará e até no Rio Grande do Norte de onde era a sua primeira esposa ,Dona Irismar Câmara Amado de Oliveira.
Armildo Amado Oliveira gostava de escrever não apenas para os jornais da Terra da Luz, mas era também um aficcionado pelo rádio, participando de programas  relevantes ,em que dava notícias culturais ou até mesmo fazia as vezes de reporter correspondente do Interior, na velha Dragão do Mar, que não existe mais ou na Rádio Uirapuru.
Estivesse vivo,hoje, com este mundo maravilhoso da tecnologia de novas ,midias em que se pode escrever e comunicar-se com o mundo todo certamente ele estaria aqui com o seu espaço falando das coisas que mais  amava e o emplolgava : politica, o clube do Fortaleza e família , visto que era um senhor chefe de família  vinte e autro horas do dia....Era um amante da alegria e em tempos mominos, colocava o Bloco de Sujos nas ruas do bairro Demócrito Rocha, levando e espaalhando a folia com amigos e amigas que somavam a saudável brincadeira de fazer um verdadeiro carnaval popular.
Fundador do Educandário 5 de Julho, que hoje não existe mais, era também professor da rede estadual do Estado, tendo formação superior em Filosofia e Ciências Sociais pela Universidade Estadual do Ceará.
Entre os jornais que colaborou no século passado estão o Tribuna do Ceará, que não existe mais e os matutinos O POVO e DN, além de O Estado, sendo que estes continuam em circulação na nossa capital cearense.Os textos do Armildo Amado nunca foram reunidos em livro ainda....
Era um jornalista vocacionado que não tinha o diploma do talento e a correção da língua portuguesa, razão pela qual seus textos ganhavam destaques dos editores de artigos ou nas seções reservdas aos leitores que enviavam uma missiva aos diarios da terra que nunca podem prescindir da colaboração do leitor critico e qualificado que era o genial amigo e mestre Armildo Amado Oliveira, que levado por mim a Casa do Jornalista, ainda, chegou a ser sócio efetivo da nossa egrégia Associação Cearense de Imprensa.fato que muito lhe alegrava quando nos encontravámos em eventos aceianos.
Saudades do grande mestre e professor e jornalista Armildo Amado Oliveira, cujo nome merece esta pequena cornica como uma homenagem pessoal do amigo e ex-aluno Alaércio Flor, o famoso Jabuti.
Postar um comentário